A PAIXÃO 
 DA REGIÃO 


Protestos na BR-356 e em Rio Preto contra falta de ônibus

05 DEZ 2017
05 de Dezembro de 2017
A BR-356, altura de Três Vendas, está fechada para o tráfego há cerca de sete horas, isso porque moradores fazem, nesta segunda-feira (04/12), um protesto contra a falta de ônibus na localidade. Já no por volta das 14h, na localidade de Rio Preto, também na área rural, um ônibus da empresa Rogil foi depredada por populares. A Rogil, que atende as duas localidades, está com as atividades paralisadas devido à greve dos funcionários que estão sem receber os salários de pelo menos três meses.
MANIFESTAÇÃO - A rodovia foi fechada às 9h. Os manifestantes atearam fogo em galhos e pneus. “Estamos sem ônibus há três semanas. Estudantes estão tendo que pagar passagem no ônibus da Brasil (linha intermunicipal) no valor de R$ 5,50, sem falar que tem gente perdendo emprego por não ter como ir para o Centro”, disse a moradora Valkiria Ribeiro.
De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), que foi acionada para intervir na liberação da rodovia junto aos manifestantes, pelo menos 100 pessoas participam do protesto. Eles alegam que só vão liberar a pista, após um posicionamento oficial da Prefeitura a cerca da prestação de serviço coletivo na localidade.
Quanto ao coletivo que foi depredado, a Polícia Militar informou que uma viatura já foi deslocada para Rio Preto, a fim de averiguar a situação. Outros quatro ônibus, que não foram danificados e que ainda permanessem no local, estão para ser retirados pelo proprietário da empresa
Em nota, o Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT) informa que "o órgão continua cobrando, no mínimo, a retomada de 30% da frota da Rogil. Solicitações vêm sendo feitas a outros consórcios para cobertura de algumas linhas do interior do município. Na área urbana, os bairros vêm sendo atendidos pelo transporte alternativo legalizado (vans). Algumas linhas na região de Dores de Macabu, Serrinha, Ibitioca, Caxeta e Pernambuca não foram afetadas.
Medidas já estão sendo tomadas junto à Procuradoria Geral do Município e à Secretaria da Transparência e Controle".

Voltar