A PAIXÃO 
 DA REGIÃO 


Casos de dengue no estado do Rio de Janeiro aumentam 580% este ano

09 SET 2015
09 de Setembro de 2015

O estado do Rio de Janeiro notificou mais de 53 mil casos suspeitos de dengue até o fim de agosto. O dado representa aumento de 580% em relação ao número registrado em todo o ano passado. Em 2014, foram quase 8 mil infectados pelo Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença. No município de Campos, foram contabilizados até o momento, 2.420 casos de dengue, segundo dados do Centro de Referência de Doenças e Imuno-infecciosas (CRDI), que foram divulgados nesta terça-feira (08/09) pela Secretaria de Saúde. 

Ainda segundo a Secretaria de Saúde, o movimento no CRDI reduziu em 20% comparando os meses de julho, quando foram confirmados 622 casos da doença e agosto, com 460. Setembro tem sete casos. O órgão vinha registrando uma média de 30 pacientes por dia na sala de hidratação. 

Durante todo o ano de 2014, o município de Campos registrou 54 casos confirmados de dengue. 

MORTES TAMBÉM AUMENTARAM
O número de mortes em decorrência da doença também aumentou no Estado: foram 13 de janeiro até agora, três a mais que de janeiro a dezembro de 2014. Destes, um foi em Campos, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro.

Apesar do aumento significativo, o subsecretário de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe, nega que o estado esteja vivendo uma epidemia e lembrou que em 2013 o número de casos foi bem maior: 218 mil. Ele também explicou que o maior número de casos este ano se deve à volta do vírus tipo 1, principalmente em municípios do interior do Rio, que não tinham histórico de circulação desse vírus.

"Há quatro tipos de vírus e a alternância deles faz com que ocorram esses surtos, ou seja, que o número de casos seja maior em alguns anos do que em outros", acrescentou.

Para o infectologista Alberto Chebabo, o aumento do número de casos é previsível. "O aumento de casos se dá basicamente pela maior proliferação do mosquito, pela entrada de um vírus novo e, consequentemente, pelo aumento de pessoas suscetíveis. O paciente, ao ser infectado, cria imunidade somente ao tipo de vírus que causou a doença. Com o passar do tempo, aquelas pessoas que não pegaram as epidemias passadas, não têm essa imunidade", explicou.

Chebabo ressalta que a melhor forma de prevenir a doença é combatendo o mosquito e pede maior envolvimento da população. "A maior parte dos focos de dengue estão nas casas das pessoas. Elas sabem que precisam tomar as medidas de prevenção, como não deixar água parada, e, ainda assim, muitas vezes não tomam essas providências", acredita.

Daniela Abreu

Durante todo o ano de 2014, o município de Campos registrou 54 casos confirmados de dengue

Voltar